Marvão Extreme

Sexta, 19 de Outubro de 2012


Foto levada a concurso premiada com o 3º lugar
   Para quem não se recorda, nós participámos num concurso de fotografia, patrocinado pela Bike Spirit, em que o tema era "Melhor Foto de BTT". Aficionados da fotografia como somos, não pudémos deixar de participar. Os prémios atribuídos, eram todos eles, a possibilidade de usufruir de uma experiência Bike Spirit em Marvão a um preço mais reduzido. Foi com bastante agrado que vimos ser-nos entregue o 3º lugar nesse mesmo concurso, sendo assim, o nosso prémio o Marvão Extreme.




"Casas da Estação"

   
 Foi neste fim de semana de 20 e 21 de Outubro que os Bike On The Move se decidiram a ir pedalar até Marvão. Foi tudo acertado com o Sr. Luís Catarino, que sempre demonstrou uma excelente boa vontade e disponibilidade para que tudo corresse da melhor forma, mas que nunca chegámos a conhecer pessoalmente. Dirigimo-nos à Beirã, local onde passaríamos a 1ª noite para podermos arrancar fresquinhos logo de manhã para a 1º etapa que seria em direcção à Barragem da Apartadura, passando por Marvão. Chegados lá, fomos instalados nas "Casas da Estação", onde fomos recebidos pelo Sr. Luís Murta, que simpaticamente nos pôs à vontade e nos deu uma espécie de kit de boas vindas composto por ofertas das marcas que apoiam este projecto "Bike Spirit". Entre elas está a GoPro, Gold Nutrition e a Specialized.








No Restaurante Nicau


A hora do jantar aproximava-se e, por recomendação do Luís Catarino, decidimos ir à procura do Restaurante Nicau. Fomos graciosamente recebidos pelo Sr. Joaquim, que após dois dedos de conversa viemos a saber ter sido nosso vizinho em Setúbal. Como o mundo é pequeno... Ainda viémos embora com um garrafão de vinho e uma garrafa de bagaço, ambos caseiros. O Arnaldo agradece! Dali, fomos direitos aos nossos aposentos descansar um pouco, porque o dia a seguir adivinhava-se cansativo...







Sábado, 20 de Outubro de 2012


A preparar a partida
Toca o despertador às 07h30. Estava na hora de acordar, espreguiçar e levantar para começar os preparativos para o arranque da 1º etapa. Colocar GPS`s nas biclas, lubrificar correntes e nisto chega o pãozinho fresquinho para o pequeno almoço. Toca a atestar o depósito!! Depois de um pequeno almoço reforçado, estávamos prontos para atacar os trilhos. Começámos devagar, com algum frio mas cheios de vontade. Não tardou muito já andávamos rodeados de rochas e vegetação típica da zona, perdidos em caminhos de cabras, a atravessar ribeiras e riachos... Mesmo ao nosso gosto!!





 


 
 





 Desde que andamos de bike, que há uma tradição que tem vindo a ser mantida com bastante gosto: a pausa para o lanche. Em Marvão não foi diferente, tirando a paisagem que escolhemos para o fazer. Íamos tão divertidos e entusiasmados com o que seria que viria a seguir "à curva" que nem demos pela fome mas, há sitios que nos alertam logo para uma paragem! Em Marvão, até pela audição somos avisados! Começando a descer por rochas, os nossos ouvidos deram por um som familiar e o estômago respondeu ao chamamento. Estávamos perto de uma ribeira!! Encosta...





Depois de uns minutos e muitas fotos tiradas, seguimos caminho. A boa disposição, mesmo com dois elementos, reinava e ecoava pelos trilhos fora.  Sabíamos que a subida a Marvão era inevitável mas cada vez afastávamo-nos mais... Começávamos a ficar preocupados! Mesmo quando nos cruzámos por um senhor que, se preparava para orientar o gado, nos disse: "É bom para ganhar músculo na perna...". Mesmo assim ainda íamos desconfiados com o caminho. A verdade é que daí para a frente, o dia nunca mais foi o mesmo... Foi aqui que começámos a subir, a subir, a subir, a subir e ainda subimos mais um bocado. Mesmo depois de termos subido mais um bocadinho, ainda subimos um bocado mais... Até que finalmente chegámos ao topo de Marvão. O cansaço era insuportável mas a satisfação de uma parede conquistada inundava o nosso ego!



De costas para Marvão

Estrada Romana de acesso a Marvão

Já só falta metade...


A tentar adivinhar por onde seria a Barragem








Depois de um almoço ligeiro na "Varanda do Castelo" estava na hora de desfazer tudo aquilo que nos tinha custado a fazer. Era altura de descer para Portagem. Se subimos por uma estrada romana, o ideal seria descer por outra...






Sem sabermos se seria mesmo Portagem, a localidade onde estávamos, engraçámos com o sitio e até fomos passear até a um jardim que nos despertou a curiosidade. Tirámos a foto de grupo e devido ao cansaço, ficámos com pena de não termos perdido ali mais algum tempo de volta daquele jardim que, viríamos a saber mais tarde, possuí uma piscina natural... Pode ser que agora dia 10 e 11 (Festa da Castanha em Marvão) lá demos um salto...








Dali e contentes, pela 1ª vez, de vermos alcatrão, o ritmo aumentou um bocadinho. Enganados pelo cansaço, nem nos demos ao trabalho de averiguar o percurso do GPS. Apenas nos concentrámos nos 10km que assinalava no GPS para a chegada... Quando pensávamos que não podia piorar, aquilo ainda ficou melhor!! Toca a virar à direita e prepara-te que tens monte para trepar!!


A alegria do Rui em subir mais este bocadinho




Vista da Quinta do Bolgão
Daqui para a frente, pelo menos neste dia, já não existiram fotografias. No entanto, já nos metros finais, a descer o último corta-fogo, uma cancela não foi avistada lá de cima devido à sua cor (cinzenta) se confundir com o alcatrão. Resultado: um pé torcido, várias escoriações e um impermeável para o lixo! E ainda se ouviram piadas toda a noite. Uma das quais era de que o Bruno só prestava para abrir cancelas... Já na Quinta do Bolgão, fomos recebidos por um casal bastante simpático que nos colocou logo à vontade. Levaram-nos ao quarto onde já estava a nossa bagagem à nossa espera. Só restava tomar um banho e lamber as feridas até à hora do jantar...



Gráfico final do 1º dia




Domingo, 21 de Outubro de 2012






Foi com alívio que vimos uma manhã com céu limpo. Tudo incentivava a um dia perfeito para a prática do BTT excepto o pé torcido do "Cancelas". Após um arranque a muito custo, lá demos inicio às hostilidades! E logo com uma subida. Já íamos tão mentalizados para sofrer que nem olhámos para as indicações do GPS e fomos até ao topo da serra sem necessidade nenhuma, uma vez que era para virar a meio. Depois de contornar a barragem, entre vales e "desvales" fomos dar a um singletrack técnico que incentivava à destreza do "Cancelas". Mas afinal, até a descer o pé torcido se queixava...













Após uma longa descida feita a subir, lá se chegou, mais uma vez ao topo, de alguma coisa. Aí vimo-nos mais uma vez num trilho bastante técnico e divertido de fazer. Como já íamos a meio, decidimos encostar uns minuto para experimentar as barritas energéticas oferecidas no kit de boas vindas.



Mais uma vez, sem sabermos como, fomos dar connosco, novamente, a subir uma estrada romana que nunca mais tinha fim... Muita estrada romana existe para aqueles lados!!

 


 Depois de uma longa caminhada, lá chegámos, novamente, ao topo de mais uma serra. Desta feita, pensávamos estar fora de água mas ainda se fez um desvio para mais um topo. Virou-se onde existia uma placa que anunciava o local de salto de parapente... Coisa baixinha então...

O Rui estava feliz por ver mais uma subida...






Finalmente se começou a descer para Castelo de Vide (Castelo de Vide já se encontra num topo e mesmo assim "descemos para Castelo de Vide"... Vejam lá bem a nossa vida!). Mas ainda tivémos tempo para tirar uma foto sobre a vila... Depois lá nos enfiámos por uma estrada romana, direitos à zona mais baixa de Castelo de Vide. Talvez aqui, seja dos trilhos mais interessantes onde andámos. Pena não ter sido utilizada a Máquina fotográfica neste troço.




Depois ainda andámos aos zig-zags pelas ruas do Castelo até chegar ao topo. A partir daqui já se começava a cheirar o descanso que nos aguardava na Beirã. Começa também a ameaçar chover mas, nunca chega a passar disso mesmo: uma ameaça. Já depois de Castelo de Vide, nos últimos quilómetros, quando pensávamos já estarmos fora dos azares, o Bruno fura o pneu da frente. Calhou ao Rui encher a roda porque ele tem jeito para "dar à mão"

video
Rewind dos Rambinhos, Maio de 2010


Na fonte de Castelo de Vide

Bombeia aí à vontade...



Gráfico final do 2º dia




Balanço final:

É duro!! Isso é certo! Mas para quem gosta realmente do BTT, Marvão aliado à Bike Spirit, é o ideal. Fomos sempre bem tratados, os habitantes, por quem passámos, sempre muito educados e, nem sequer vale a pena falar na paisagem. Vamos dar com sitios absolutamente fantásticos. É uma aventura que, certamente, tentaremos voltar a repetir. Mas mais bem preparados. São apenas 45kms por dia mas são em Marvão!! Aconselhamos também uma bike de suspensão total. Para curtir aquilo à séria tem de ser...

Aproveitamos para deixar um agradecimento ao Sr. Luis Catarino, Sr. Luis Murta, e ao Sr. Joaquim!! Obrigado pela vossa simpatia!



Mais fotos no nosso FACEBOOK! (é só clicar)



3 comentários:

  1. olha... Nojo mete isso... lolololol

    ResponderEliminar
  2. O rescaldo está muito bem feito, mas as fotos estão simplesmente fantásticas! É certo que a paisagem ajuda, mas isso só não basta. Muito bom, parabéns a todos!

    Cumprimentos,
    Carlos

    http://bdr-btt.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Obrigado Carlos!

    Esperamos, para o ano, ver a mesma foto reportagem dos BDR...

    Abraço

    ResponderEliminar

Seguidores